Tag Archives: Genéve

Ao de leve por Genève

Apesar dos voos baratos e do instantinho que demora, Genebra continua a afugentar com os seus ares de monstro financeiro, cheia de  convenções e muros altos, onde a moeda e a cor da nota acertam o passo. Mas ninguém disse que o monstro era feio, nem que não apreciava umas festinhas ligeiras de vez em quando, por pouco tempo, não vá o bicho acordar e caír-nos em cima. Fica por isso um guia leve, de um fim-de-semana ao de leve, por Genève, io-de-lev, io-de-lev, io-de-lev, i-ô.

Vendredi

 10h00 – Carrouge

Uma espécie de bairro italiano bem no centro de Genebra. Cartier castiço e pitoresco com lojas e cafés simpáticos em cada esquina. A famosa e bonitinha  chocolataria Philippe Pascoet também fica para aquelas bandas.

12h00 – Cathedral de Saint-Pierre

Catedral protestante com nome de São Pedro. Calvino esteve por lá e deixou um púlpito muito pouco católico. Uma catedral neo-clássica que faz lembrar muitas Sés portuguesas. As vielas e ruelas que a circundam estão cheia de referências a Calvino e carregadas de cafés, restaurantes e lojas castiças.

14h00 – Place du Bour-de-Four

Mesmo no coração da cidade velha está a Place du Bourg-de-Four, local de encontros desde o século XVI. Hoje está rodeada por cafés (La Clémence é uma verdadeira instituição genevoise), gelatarias carismáticas (Angoletta – bons gelados italianos), loja de azeitonas e seus derivados (Oliver&Co) e um restaurante com saladas tailandesas e “frango de churrasco” (Chez Ma Cuisine). Aproveitem para almoçar.

15h00 – Rue du Rhône

Aqui podem encontrar as grifes mais cobiçadas do mundo como Cartier, Bvlgari, Gubelin, Patek Phillippe, Armani, Chanel, Dior, Givenchy, Gucci,Louis Vuitton, Joalherias, entre outras.

 16h00 Musée d’art et d’histoire

Com escadarias longas e tetos altos este museu congrega uma muito simpática coleção artística que vai da Idade média ao Século XX com pintura italiana, germânica, francesa e suíça . Por lá podem encontrar Cézanne, Modigliani, Rodin entre muitos outros.

18h00 – Jardins Anglais

Um dos ícones de Genève está plantado aqui desde 1955 (Horloge Fleurie).

Com o Lac-Léman en face, vale a pena sentar à sombra de uma árvore a comer um gelado.

20h00 – Buvettes des Bains de Pâquis

Chegar cedo, reservar mesa, fazer fila e derreter-se com um fondue à beira lago. Vinte euros por pessoa para jantar fondue é um verdadeiro achado em Genebra.

22h00 – Paquis

Entre a estação central de Cornavin e o lago Léman, esta é uma das mais carismáticas zonas de Genève. Uma verdadeira red Light com restaurantes e bares chineses, japoneses, paquistaneses e portugueses. Imperdível.

00h00 – Philippine Assia

Bar de Karaoke no Paquis, onde se sai do ambiente suíço e se dá um saltinho até às Filipinas. Um verdadeiro hino à Ásia.

Samedi

10h00 – Le pain quotidien (Place du Cirque) para o petit déjeuner

Podemos encontrá-lo em todos os cantos do mundo, mas nunca fez tanto sentido como em Genebra. Dos poucos sítios com um preço simpático para trincar um croissant et boir um sumo de laranja.  (Os croissants aux almand são deliciosos)

11h00 Plainpalais

Marchés aux puces cheio de relíquias e quinquilharias (sábados e domingos) . E ainda uma série de pastelarias, restaurantes, cafés, bares e clubs (La SIP) fazem desta praça um dos pontos a visitar em Genebra.

14h00 MAMCO

Situado numa fábrica abandonada, este museu de arte contemporânea são 4 pisos de exposições itinerantes, pontuadas por uma série de neons assinados por Maurizio Nannucci.

16h00 – Les bains de paquis

Se for Verão, levar bikini e aproveitar para dar um mergulho nas águas transparentes do lago.

18h00 – Palácio das Nações

A sede da ONU na Europa. Cheguem pela Quai Wilson e pela Rue de Lausanne. É um bom passeio ao pé do lago.

19h00 – Les Schtrounfs

Três arquitetos (G.Berthoud, R. Frei, C. Hunziker) inspiraram-se na casa de Milá de Gaudi para criar este amontoado de apartamentos. Entra na banda desenhada!

22h00 – Ilôt 13

Fica entre a rua de Montbrillant e a rua das Gares e é um dos mais antigos squats suíços. Com muros grafitados e fachadas de madeira, é um óptimo local para se ir beber uma cerveja (das mais baratas que por lá se bebem) e ouvir boa música num ambiente de estudantes Erasmus e artistas com rastas no cabelo e calças a dar-a-dar.

Dimanche

10h00 – Hermance

E porque Domingo é dia de descanso,  10Km  a Este de Genève (Bus E) encontra-se  uma pequena vila medieval com castelos, ruelas,  um porto e uma pacata praia para umas espreguiçadelas valentes.

Anúncios
Com as etiquetas

Já estava na hora de Genéve

Tiram-se os pés do chão e a nossa Pé 38 fica logo com a cabecinha no ar. Que se andou pela Suiça no IO-DELE-I-OU andou, mas Zurique e Bern é que nem vê-los.Foram três dias por Genebra com muita forretice, passeios à beira lago e umas boas lambuzadelas de chocolate.

“E viva o luxo”

Não são só as malas Louis Vuitton, os sapatos Louboutin, os bancos suíços e os reclames luminosos a reclamarem Rolex, Cartier e Patek Phillippe, que fazem de Genéve uma verdadeira boneca de luxo. Os hotéis pomposos, os bistrôts de sofás escarlate e os carros de séries altas fazem da segunda maior cidade Suíça um verdadeiro tapete vermelho para madames e monsieurs se passearem com malas de centenas de euros de baixo de braço e gabardines de fazer corar casacos pelintras e malas de pele gasta que não valem mais do que um par de meias que trazem calçadas. E nos restôs da moda petisca-se foie gras de canard e brinda-se com Pinot Noirs, Chardonnays e Champagne.

Baby-booooooooooom

O baby-boom só pode ter explodido na Suíça. Eles são mais do que as mães e andam à solta por todo o lado. Atravessam estradas a correr, brincam em parques, passeiam-se em carrinhos duplos, triplos e quádruplos. Crianças linguarudas de cabelos loiro, olhos em bico e pele morena que berram em francês, cantam em espanhol, insultam-se em alemão e torcem uns pelos outros em italiano. Fedelhos castiços e poliglotas que fazem de Genéve uma cidade mais colorida.

 Genéve é veeeeeerde

Cidade de zonas verdes, jardins floridos e águas transparentes, Genéve é um lago com cheiro a maresia e margens com nome de praias. E neste arejo de sítio deslizam bicicletas, triciclos, patins em linha, skates, tudo corre, tudo mexe, aqui tudo se exercita.

Helvética é só a fonte

Deve ter sido por alguma coisa que a fonte mais elegante de todas nasceu na Suiça. E se se pensava que de lá só vinha a fonte e uns arquitetos XPTO, está-se muito enganado. Aquilo são ateliers de design e arquitetura, agências de publicidade, lojinhas de criadores japoneses, cafezinhos cheios de charme, museus de arte moderna, galerias minimalistas por toda a parte. Até parece que os escandinavos foram viver para o centro da europa.

Muita alminha lusa

Em Genéve, bebe-se Super Bock, comem-se francesinhas e  veste-se a camisola do Benfica e do FêQuêPê. Os portugueses são aos pontapés e o português ouve-se por todo o lado. E se nas bancas se vendem Anas e Marias, no Supermercado canta-se de Galo e brinda-se à alegria com um belo de um Casal Garcia.

Com as etiquetas